REGIÃO DE MALANJE

REGIÃO DE MALANJE
CENTENÁRIO DO ESCUTISMO

sábado, 17 de julho de 2010

RUI LUÍS FALCÃO PINTO DE ANDRADE


RUI LUÍS FALCÃO PINTO DE ANDRADE/ HISTORIAL


RUI LUIS FALCÃO PINTO DE ANDRADE
Rui Luís Falcão Pinto de Andrade.

Data e Local de Nascimento: 02/12/60 – Namibe (Moçâmedes).
ANGOLA.
Esposa: Vanda Maria Ferreira Brandão Pinto de Andrade
Filhos: 3
Profissão : Psicólogo
Curso Médio de Educação Física
Curso Superior de Psicologia
Trajectória Profissional:
1975/84—Oficial do Exército.
1985/89—Chefe de Departamento da Secretaria de Estado de Educação Física e Desportos
1989/92—Director Nacional do Ministério da Juventude e Desportos
1992/04—Deputado à Assembleia Nacional
Secretário do Grupo Parlamentar do Partido Maioritário
Vice-Presidente da Comissão para Educação, Ciência , Tecnologia e Comunicação Social
Membro da Comissão Constitucional
Membro do Comité Executivo da União dos Parlamentos Africanos
Representante do Parlamento Angolano para a União Mundial de Deputados Escuteiros - Wspu
Director do D.I.P

VIDA ESCUTISTA

1966 – Promessa Escutista (Lobito)
Agrupamento Marítimo de Moçâmedes.
1990– Coordenador da Comissão Nacional para a Instalação do Movimento Escuta em Angola
1991- Membro Fundador da Ex-Associação Nacional de Escuteiros (ANE); Eleito Chefe Nacional.
1994- Membro Fundador da Associação de Escuteiros de Angola (A.E.A); Eleito Chefe Nacional
1996– Formador Adjunto
1997– Participação na 2ª Assembleia Geral da WSPU
- Chefe da Equipa Nacional de Formadores
1998– Chefe da Delegação da AEA à 35ª Conferência Escutista Mundial - Durban (Reconhecimento da AEA como membro da OMMS)
1999– Reeleito Chefe Nacional

2003 - Conferência Zonal—Lusaka
- 4ª Assembleia Geral da WSPU
2004 - Director de Formação
- Presidente da Comissão Nacional Preparatória da 31ª Conferência Zonal de Escutismo da Africa Austral
2004 – Eleito Membro do Comité Africano de Escutismo.
E-mail: ruiandrade@snet.co.ao
Tel: +2442447587 / +24492404380

DA MOCIDADE PORTUGUESA Á AEA
No âmbito do processo de abertura iniciado no final da década de 80, algumas pessoas interessadas entre as quais os Dr’s. Alfredo Júnior e Rui Pinto de Andrade, porque foram Escuteiros ou porque conheciam os fundamentos do Escutismo, tomaram a iniciativa para o seu relançamento, numa conjuntura em que muitos valores morais se tinham perdido fundamentalmente no seio da juventude que carecia de outra orientação.



Assim, a 15 de Agosto de 1990, realizou-se um encontro na Direcção Nacional de Cultura Física e Recreação do Ministério da Juventude e Desportos, usando inicialmente a palavra o Sr. Nelo Victor, então Director Nacional da Juventude, e nele participaram em resposta a uma convocatória pública, os antigos escuteiros seguintes:



Rui Luís Falcão Pinto de Andrade

Pe Agostinho

Alfredo Romero Fernandes

Susana Nicolau Inglês

António Francisco Miguel da Fonseca

Isidro Alves

Manuel Ramos Pedro

José Jacinto

e ainda, o Sr. Pedro de Almeida, funcionário daquela Direcção.



Da análise feita, concluiu-se que era possível relançar o Escutismo em Angola com o apoio do Corpo Nacional de Escutas – CNE (Portugal) e dos Bureau’s Mundial e Regional Africano de Escutismo respectivamente.



Os participantes decidiram criar uma Comissão Instaladora composta por Rui Pinto de Andrade (Coordenador), Pe Agostinho e Susana Inglês, encarregue de elaborar um Projecto de Estatuto condizente com a realidade Angolana e marcar um novo encontro para o dia 24 do mesmo mês (Agosto de 1990).



Paralelamente ao trabalho desta Comissão, funcionava um grupo liderado pelo Sr. Pe Agostinho, integrando Alfredo Romero e António Fonseca, cuja função era o de estabelecer contactos com outros antigos Escuteiros, explicar o espírito e objectivos do “GRUPO Dos 8”, se podemos assim chamar os percursores do relançamento do Escutismo e criar as bases para a realização de Seminários para capacitação dos futuros Dirigentes.

Esta constituiu a 1ª fase do Projecto, e teve a aderência de cerca de 35 antigos Escuteiros.

Imediatamente iniciaram os Seminários nas instalações da Paróquia de Fátima, à medida que se consolidava o entrosamento dos participantes, os seus filhos, sobrinhos, irmãos, vizinhos e outros, eram mobilizados para fazerem parte do embrião Escutista da Angola nova.



A mensagem transmitida foi muito bem recebida. O número de candidatos apresentados, foi suficiente para a constituição dos primeiros três Agrupamentos com todos componentes. Formaram-se os Bandos, as Patrulhas e as Equipas, distribuiu-se os futuros Dirigentes pelos Agrupamentos constituídos e, finalmente os trabalhos de formação dos jovens aspirantes, tiveram o seu inicio entre os meses de Setembro e Outubro de 1990. Por essa altura, estava em fase de acabamento o Projecto de Estatuto, a Comissão Instaladora marca a Assembleia Constituinte para Fevereiro de 1991.



Nos dias 20, 21 e 22 de Fevereiro de 1991, realizou-se na Casa do Desportista em Luanda, a Assembleia Constituinte, estando presentes 39 antigos Escuteiros bem como outros 2 novos aspirantes que proclamaram a ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE ESCUTEIROS, elegeram o seu executivo (Junta Centra), e o Conselho Fiscal e Jurisdicional, que ficaram assim constituídos:



JUNTA CENTRAL



Rui Luís Falcão Pinto de Andrade – Chefe Nacional;

Alfredo Romero Fernandes – Chefe Nacional Adjunto;

Cláudio de Carvalho – Secretário para Relações Internacionais;

António Francisco Miguel da Fonseca – Secretário para Administração e Finanças;

António Alves de Jesus – Secretário Pedagógico;

Pe Agostinho – Assistente Principal.



CONSELHO FISCAL E JURISDICIONAL



Maria Imaculada da Conceição Melo – Presidente

Vogal;

Vogal.



A Associação proclamada, define-se como não-governamental, apartidária e ecuménica, subordinando toda sua acção aos seus Estatuto e Regulamento Geral.



Objectivos imediatos:



a) Reconhecimento formal da ANE pelo Governo;

b) Desenvolvimento da actividade Escutista a mais três Regiões;

c) Preparar o Programa de Jovens e dar forma ao processo de formação

de Dirigentes;

d) Lutar pelo reconhecimento a nível da OMME – Organização Mundial do Movimento Escuta.



Estiveram presentes no acto de abertura da Assembeia Constituinte S. Excelências Dr. Marcolino Moco, o Sr. Sardinha de Castro, Ministro e Vice Ministro da Juventude e Desportos, respectivamente, e outros quadros superiores do Ministério como convidados de honra, tendo proferido o discurso de abertura, o Sr. Vice Ministro.



São Membros Fundadores da ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE ESCUTEIROS os Dirigentes seguintes:



Rui Luís Falcão Pinto de Andrade;

Alfredo Romero Fernandes;

António Francisco Miguel da Fonseca;

Cláudio de Carvalho;

António Alves de Jesus;

António Fonseca de Barros;

Pe Agostinho;

Rosa Maria Ferreira Dinis;

Augusto Wilson de Carvalho;

António Francisco Xavier de Figueiredo;

António Silvestre Alves Sardinha;

Maria Filomena Jaime Airosa;

Maria Lopes Ferreira da Cruz Lima António;

Maria Manuela do Nascimento Pereira da Silva;

Virgínia de Lourdes dos Santos Josefino;

Severina Lopes Ferreira da Cruz Lima Baptista;

Maria Imaculada Lourenço da Conceição Melo;

Alda Palmira do Céu Bernardo;

Isabel Maria Romero Fernandes de Carvalho;

Maria Madalena Agostinho Pontes de Figueiredo;

Stella de Fátima dos Santos Josefino;

José Maria Lello Sousa Bernardo;

Filomena Maria Wilson de Carvalho Santos;

João da Conceição Paulo;

José João de Jesus Paulo Diogo;

Isidro Alves;

Maria da Conceição Colsoul Serqueira;

Esperança Mendes de Almeida Jacinto;

Anastácia Mendes de Almeida Lima;

Nkonga Daniel Colombe;

Maria Eduarda da Silva Alves Bento;

Maria Lucília Mizade;

Reis Pio do Amaral Gourgel;

Aníbal Alfredo Pio do Amaral Gourgel;

Domingos Correia de Melo;

Maria do Céu Teixeira de Sá;

René de Fátima Airosa dos Santos;

Armando Cortês;

Maria Isabel Lourenço da Conceição;

José Júlio Wilson de Carvalho e

Paulino Domingos Baptista, Vice Ministro da Hotelaria e Turismo,

antigo escuteiro.



A 16 de Junho de 1991, realizaram-se as Promessas dos primeiros Dirigentes e Escuteiros, no quintal do Seminário dos Capuchinhos, Paróquia de Fátima, com a seguinte ordem: Primeiro, o Sr. Pe Agostinho investiu o Chefe Nacional, este investiu os restantes Dirigentes, seguindo-se por ordem crescente os demais Escuteiros. Estavam assim consumados os propósitos do encontro de 15 de Agosto de 1990.



Dos três Agrupamentos iniciais, o Movimento rapidamente se estendeu a quase toda a extensão de Luanda.



Estávamos ainda no limiar dos primeiros passos, logo uma crise se instalou na Associação entre os meses de Outubro e Novembro de 1991.



A suspensão de um membro da Junta Central, por comportamento pouco digno, criou um foco de cisão que se consumou em princípios de 1992, quando um Grupo de Dirigentes abandonou a Associação, arrastando consigo uma parte de jovens e, criaram a Associação de Escuteiros Católicos de Angola – AECA.



Nessa altura estava já em curso o processo de reconhecimento internacional da Associação Nacional de Escuteiros – ANE. Na primeira quinzena de Dezembro, uma delegação da Junta Central chefiada pelo Chefe Nacional, e integrada pelos Secretários para Relações Internacionais e Administração e Finanças respectivamente, com o patrocínio do Ministério da Juventude

e Desportos, desloca-se a três países europeus, nomeadamente Itália, Espanha e Portugal, para contactos com a AGESSI, MSC e CNE, organizações escutistas desses países, com vista não só a troca de experiências, mas também à solicitação de apadrinhamento para o seu reconhecimento.



A 5 de Outubro de 1992, no Livro n.º 1 de Registo das Organizações/Associações Juvenis e Estudantis do Ministério da Juventude e Desportos, a folha n.º 15, é registada sob o n.º 15, a Associação Nacional de Escuteiros – ANE.



Em 1993, veio a Angola para contactos com a ANE, o Sr. Abdulaye Sène, Director Regional Adjunto do Bureau Africano. Não obstante, o Chefe Nacional da ANE, anfitião, colocou também o ilustre visitante em contacto com D. Óscar Braga, para uma troca de impressões sobre o desenvolvimento do Escutismo no País.

Da análise, concluiu-se que era imperioso a existência de uma só organização nacional escutista, imperativo da OMME – Organização Mundial do Movimento Escuta, para o reconhecimento.

Foi neste quadro que se começou a desenhar o nascimento da AEA. Assim as Direcções da ANE e da AECA, multiplicaram esforços neste sentido, que culminou com a realização da Assembleia Constituinte no Seminário Maior de Luanda, sob presidência de D. Óscar Braga.

A Assembleia discutiu e aprovou um novo Estatuto, elegeu os corpos gerentes e, proclamou a ASSOCIAÇÃO DE ESCUTEIROS DE ANGOLA – AEA, no dia 3 de Dezembro de 1994, mantendo esta, o carácter não-governamental, apartidária e ecuménica, subordinando toda sua acção ao seu Estatuto e Regulamento Geral.



D. Óscar Braga é escolhido Chefe Escuta e a JUNTA CENTRAL ficou assim constituída:



Rui Luís Falcão Pinto de Andrade – Chefe Nacional;

António Silvestre Alves Sardinha – Secretário Nacional;

Cláudio de Carvalho – Secretário p/Relações Internacionais;

José Leonel de Jesus Oliveira – Secretário p/Administração e Finanças;

António Francisco Xavier de Figueiredo – Secretário para Formação

de Dirigentes;

Manuel André Diakiese – Secretário p/Formação de Jovens;

Pe Manuel Rito Dias – Assistente Católico.



CONSELHO FISCAL E JURISDICIONAL



Aníbal Alfredo Pio do Amaral Gourgel – Presidente



OBJECTIVOS



a) Reconhecimento formal da AEA pelo Governo Angolano;

b) Actualização dos documentos fundamentais e dos programas;

c) Continuação da expansão a outras religiões;

d) Cobertura a todas as Províncias;

e) Formação e qualificação de Recursos Adultos;

f) Reconhecimento pela OMME.



Estes objectivos foram cumpridos gradualmente ao longo do mandato pelo que:

– Em 1995, esteve em Angola o Secretário para Eventos Internacionais

do Bureau Mundial, o Sr. Jean Cassaigneu, dando início ao processo

de reconhecimento formal da AEA pela OMME;

– No dia 5 de Agosto de 1996, foi lavrada a escritura de constituição

da ASSOCIAÇÃO DE ESCUTEIROS DE ANGOLA, no 1º Cartório

Notarial da Comarca de Luanda e no dia 11 de Outubro publicada no

Diário da República n.º 43, III Série, constituindo estes dois actos, o

Reconhecimento de juri pelas instâncias Governamentais;

– Ainda em 1996, realiza-se na Gabela o 1º Encontro Nacional de Dirigentes;

– Em Novembro, seguem para Portugal 4 Dirigentes, a fim de participarem no 1º CAF Lusófono, sendo os quatros, os únicos africanos

qualificados como Formadores Adjuntos, obtendo assim o colar de Gilwell de 3 contas;

– Foram actualizados os documentos fundamentais e os programas;

– O movimento expandiu-se a outros credos religiosos e coberto a todo o território;

– Em 1999 uma Delegação da Junta Central participou na 35ª Conferência Mundial realizada em Durban – Àfrica do Sul, onde a AEA é reconhecida oficialmente pela OMME.



Ainda neste mandato, dois jovens escuteiros e um Dirigente, participaram em Portugal no ACANAC 97 (Acampamento nacional), a convite da Junta Central do CNE.

Em 1999, pela primeira vez, uma patrulha mista acompanhada de dois Dirigentes da AEA participa no 19º Jamboree Mundial realizado no Chile.



De 3 a 5 de Dezembro de 1999, sob presidência de D. Óscar Braga, Chefe Escuta, coadjuvado pelo Chefe Nacional bem como pelo Secretário Nacional, realizou-se o 1º Conselho Nacional Plenário, e nele participaram Dirigentes das seguintes Regiões: Benguela, Bié, Cabinda, Cunene, Huambo; Kuanza Norte, Kuanza Sul, Luanda, Lunda Norte, Lunda Sul, Malanje, Uíge e Zaire.



O Plenário, aprovou o Relatório de actividades e contas da Junta Central referente ao período de 1994/1999, o valor de jóias e quotas, o Regulamento Geral, decidiu pela eleição do Chefe Nacional e a elaboração de uma lista de concenso, das duas apresentadas a sufrágio, ficando a JUNTA CENTRAL constituída pelos seguintes Dirigentes:



Rui Luís Falcão Pinto de Andrade – Chefe Nacional;

António Silvestre Alves Sardinha – Secretário Nacional;

Cláudio de Carvalho – Comissário Internacional;

António Francisco Miguel da Fonseca – Secretário p/Administração e

Finanças;

Aníbal Alfredo Pio do Amaral Gourgel – Secretário p/Recursos Adultos;

Celso Domingos José Malavoloneque – Secretário para Formação de Jovens;

Benvindo Bilenguila Nzobadila – Comissário Internacional Adjunto;

Wassaula Zola Gerard – Secretário Adjunto p/Recursos Adultos;

Maria Rosa Vileira Severino – Secretária Adjunta p/Formação de Jovens;

Venância Maria Gregório Santos – Secretária Adjunta p/Administração e Finanças.



CONSELHO FISCAL E JURISDICIONAL



António Francisco Xavier de Figueiredo – Presidente;

António José Bernardo – Vice Presidente;

Joaquim Fernando Manuel – Vogal;

José Leonel de Jesus de Oliveira – Vogal.



OBJECTIVOS



a) Elaboração dos conteúdos programáticos dos cursos para formação

de Dirigentes;

b) Continuação do processo de formação e qualificação de Dirigentes;

c) Elaboração do programa de Jovens;

d) Conclusão do processo de organização dos cursos de formação de Dirigentes;

e) Continuação da expansão do Movimento a todo o território nacional;

f) Participação em eventos internacionais;

g) Integração na WSPU – União Mundial de Deputados Escuteiros;

h) Realizar o CNP.



No âmbito do cumprimento destes objectivos, o conteúdo dos programas para formação de Dirigentes está concluído e a ser testado, o Sistema de Progresso reorientado em função de novas directivas do Bureau Mundial, o Programa de Jovens está em fase terminal e o Movimento expandiu-se a todo o território nacional.



Na continuidade da qualificação de Dirigentes, alguns destes participaram nas seguintes acções:



– Seminário sobre Recursos Adultos, Pretória, Março de 2000;

– 1º CAF Nacional, Luanda de 5 a 12 de Outubro de 2001;

– Actualização sobre Programa de Jovens, Zâmbia, Abril de 2003;

– Seminário sobre Programa de Jovens, Benoni, África do Sul, Novembro de 2003;

– Seminário sobre profissionais no Escutismo, Benoni, África do Sul, Janeiro de 2004;

– Seminário sobre Programa de Jovens, realizado sob direcção do Sr Abdulaye Sène, Director de Formação do Bureau Regional, Luanda Fevereiro de 2004;



Delegações da Junta Central participaram nos seguintes eventos:



– 28ª, 29ª, 30ª e 32ª Conferências Zonal, em Maputo 2001, Gaberone

2002, Lusaka 2003, Maseru 2005 respectivamente.

– 11ª Cimeira Regional de Chefes Nacionais, Mafeking–África do Sul,

Maio de 2001;

– 2º Fórum de Jovens, Libreville – Gabão, Setembro de 2001;

– 11ª Conferência Regional, Libreville – Gabão, Setembro de 2001;

– 3º Fórum de Jovens, Maurícias, Agosto de 2004;

– 12ª Conferência Regional, Maurícias, Setembro de 2004;

– 9º Fórum Mundial de Jovens, Hammamet/Tunísia Agosto de 2005;

– 37ª Conferência Mundial, Hammamet/Tunísia Setembro de 2005;



Na 30ª Conferência da Zona, AEA foi indigitada para organizar e realizou em Luanda a 31ª Conferência Zonal, onde foram eleitos para o seu executivo o nosso Secretário Nacional, António Sardinha, como Vice-presidente e Celso D. José Malavolaneque, Acessor para os Assuntos Inter-governamentais.



Em 2003 um jovem de Benguela integrando uma patrulha da nossa Zona, participou no 20º Jamboree Mundial realizado na Tailândia.



Na 12ª Conferência, o nosso Chefe Nacional foi eleito Membro do Comité Africano e cumprirá um mandato de 6 anos.



Angola integra a WSPU e participa regularmente nas suas Conferências, através do nosso Chefe Nacional, o Deputado Rui Pinto de Andrade

Sem comentários:

Enviar um comentário